11 dicas para redução rápida de custos do seu negócio

0
368
Empreender-Urbanova

Por Nany Martins

Há determinadas práticas saudáveis e assertivas que todo empreendedor de sucesso precisa adotar no seu dia a dia, a fim de garantir os melhores resultados para o negócio. Algumas delas são definitivas, como a gestão estratégica dos custos. Mais do que assegurar a sobrevivência do seu negócio, uma Gestão de Custos eficiente. É de extrema importância que você conheça, administre e controle com propriedade os seus custos e despesas. Uma Gestão de Custos alinhada, além de conhecer o investimento exato na produção e oferta de produtos e serviços, sua empresa oferecerá um preço final adequado à sua realidade e a dos consumidores.

Você precisa determinar um Controle de Gastos apropriado à sua empresa para o lançamento de todos os custos e despesas. O Controle de Gastos é um conjunto de categorias que permite classificar cada despesa. Você pode criá-lo utilizando um conjunto de categorias e subcategorias que permite classificar cada uma das despesas. Assim, será possível visualizá-las de forma geral ou detalhada.

Vou apresentar 11 dicas de como você pode reduzir os custos do seu negócio, podendo assim respirar melhor, antes de tomar novas decisões. Afinal ninguém consegue dormir de cabeça fria com dividas para pagar. Vamos as dicas:

  1. Tarifas bancárias negociáveis

Se você usa diversos bancos, use esse relacionamento a seu favor e otimize o  processo de negociação de serviços. Se você usa apenas um banco, negocie mesmo assim.  É seu direito!

Existem bancos digitais sem custos e com taxas reduzidas, como por exemplo: Nubanck e Inter. Ambos os bancos oferecem TEDs ilimitadas e gratuitas.

  1. Renegociação de dívidas

Se sua empresa tem dívidas, a melhor maneira é negociar. Uma opção é levantar o valor de todas as suas dívidas e fazer uma único empréstimo a longo prazo para liquidar as contas. Uma linha de custo mais acessível é o consignado bancário. Você terá uma dívida única com uma taxa média. É uma  ótima oportunidade de economia.

Análise do Fluxo de Caixa

O acompanhamento do Fluxo de Caixa deve ser rotina na sua empresa e na sua casa. Só assim você terá uma gestão financeira eficaz. Ao prever antecipadamente uma possível falta de  caixa, você garante mais tempo para descobrir alternativas de cobri-lo, incidindo menores juros sobre empréstimos

  1. Centralização das compras

Uma equipe focada em compras gera resultados muito melhores do que compras feitas individualmente. Para melhorar o processo, acostume-se a solicitar ao menos 3 orçamentos para cada necessidade de compra. Com as cotações em mãos, ainda vale fazer mais uma rodada de negociação para chegar à melhor relação custo/benefício

  1. Renovações automáticas e Negociação de aumentos de contratos

A renovação automática diminui a possibilidade de rescindi-los sem multas. Garanta que seus contratos não sejam renovados automaticamente por simples descuido, vamos ficar atentos. Os aumentos previstos em contrato são totalmente negociáveis. Monitore seus contratos para estar sempre a par da data de renovação, para que você possa negociar seus reajustes. Use como manobra as propostas de concorrentes. É um ótimo argumento.

  1. Recursos Humanos

Demissões nem sempre são a solução.  Os custos de rescisão impactarão no caixa a curto prazo. A demissão de um profissional por te custar até 18 vezes o salário dele, considerando custos, encargos e algo que poucos consideram, o tempo gasto para buscar e capacitar o novo funcionário.

Por isso, faça uma simulação cuja avaliação considere, além da rescisão e da economia posterior, os investimentos com a contratação e o treinamento do funcionário, bem como o tempo necessário para recuperar o conhecimento perdido.

  1. Fornecedores

Compras em volume uma ótima oportunidade de negociação de preços é a compra de materiais em grande volume. Apesar de exigir a necessidade de caixa para compra à vista, isso pode refletir positivamente na margem, já que é possível reduzir significativamente o custo unitário do material.

  1. Redução de estoque

Para itens que não têm giro, é indicada a redução de estoque. Capital aplicado em estoque que não gira não rende. Em alguns casos é aconselhável vender pelo preço de custo do que manter em estoque depreciando.

  1. Uso de programas

O mercado oferece inúmeros programas – inclusive gratuitos – para auxiliar e otimizar os processos de sua empresa. Avalie bem

o benefício que o programa trará e, na contratação, cogite a possibilidade de um plano anual, que a longo prazo sai mais barato do que o mensal.

Para pequenos negócios indicamos o zero paper, é prático, barato e tem inúmeras funções para cuidar do financeiro.

  1. Otimização de processos

Acredito que de todas as dicas que dei a cima, essa é a que te trará o maior resultado. A otimização e organização de processo, pode reduzir em até 70% os custos ao logo de 12 meses.

Há custos que não são visivelmente perceptíveis nos relatórios das principais despesas. Eles são, na verdade, desperdícios em virtude da ineficiência dos processos. Para conseguir identificar esses gastos ocultos, a melhor alternativa é organizar conversas com todos os envolvidos para desenhar como é o processo atual e buscar melhorias em conjunto.

O reflexo não necessariamente será na redução financeira imediata, mas essas mudanças impactarão no aumento da produtividade. Inclusive reduz custos com mão de obra e terceirização.

  1. Pulverize prestação de serviços e compra de produtos em vários fornecedores

Estar concentrado em apenas um fornecedor para cada serviço pode significar preços mais altos e risco de faltar produtos em estoque. Procure outros fornecedores e avalie mercadorias que possam substituir as que você vende. Converse com os fornecedores que já existem para avaliar as possibilidades de redução de custos, como entregas menos frequentes e pagamento à vista.

Terceirização de serviços é a saída mais comum para transformar custos fixos em variáveis. A principal discussão está ligada ao risco de a receita não cobrir os custos do negócio.

Não é tão fácil alterar a sua estrutura de custos. Essa mudança deve ser feita de forma planejada, sempre observando as perspectivas estratégicas do negócio.

Nany Martins é Mentora Executiva e Especialista em Direcionamento de carreira. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here