Empreender

0
454

A liderança como componente fundamental no resultado dos empreendimentos

Por Maurício Tomé

É comum verificar-se a velha discussão sobre a diferença entre teoria e prática, no que tange os aspectos de gestão empresarial. Em meio a essa dualidade, muitos empreendedores surgem com suas ideias, projetos ou start-ups. O que será mais importante para um empreendedor: teoria ou prática? Na prática, a teoria é outra? Seria possível unir esses dois fatores?

Entre os argumentos que favorecem a teoria temos a utilização dos métodos de gestão. Muitos empreendedores que desconhecem os métodos de gestão podem, a depender de seu estilo pessoal para correr riscos, enfrentar sérias consequências na gestão e na tomada de decisão de suas organizações.

Conceituar-se o que seria a prática é um desafio. Diz-se que prática seria uma antítese à burocracia, ao engessamento organizacional. Questões como o próprio espírito empreendedor, a criatividade ou agilidade para tomada de decisão seriam indícios de utilização da prática. Considero que o fator principal sobre a prática é a capacidade de se iniciar e sustentar a ação, o chamado esforço organizado, que transforme intenção ou desejo em realidade. Essa qualidade refere-se à capacidade de liderança.

Em geral, as escolas de negócios possuem um espaço pouco preenchido pelas teorias: a questão da liderança como componente fundamental no resultado dos empreendimentos. Estuda-se como gerir a aplicação de recursos, e há estudos sobre “recursos humanos”, mas insisto que o fator liderança ainda é pouco considerado. Como o empreendedor pode sustentar sua ideia de pé? Aqui está o ponto principal para o sucesso ou o fracasso dos empreendimentos.

Existem organizações muito administradas e pouco lideradas, com rotinas bem definidas, mas onde não se questiona se deveriam ser seguidas. A falta de um líder que indique o porquê e como transformar visão e objetivos em realidade é causa de fracasso inequívoco de milhares de organizações. Também é causa de fracasso uma liderança que não consegue sustentar suas ideias, justamente por falta de métodos de gestão e execução adequados. Nisso, a falta de gestão é fatal.

Uma organização pode levantar um empréstimo, mudar sua localização, comprar equipamentos novos, mas sem liderança suas probabilidades de sucesso caem substancialmente. Tanto é assim que bancos e investidores-anjo querem saber sobre a capacidade dos principais gestores para sustentar suas organizações, antes de investirem.

Eu entendo que teoria e prática são dois lados da mesma moeda. Empresas sem método de gestão caminham com dificuldades e sem liderança caminham sem vitalidade. Portanto, se você é um empreendedor, procure se capacitar, não somente em como aplicar seus recursos, mas também em como sustentar suas ideias de pé. Aprenda a desenvolver sua liderança e a reunir as melhores cabeças para concretizar seus projetos. Boas ideias precisam de realizadores para se materializar.

 

Maurício Roberto Tomé: Administrador de Empresas, especialista em Marketing e Negócios do Varejo de Bens e Consumo, mestrando em Gestão de Negócios pela FIA. É consultor de varejo, empreendedor, professor universitário e palestrante. Dirige a franquia de treinamentos e desenvolvimento de líderes “Master Mind“. Foi Gestor de Varejo por 26 anos, com experiência internacional. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here