Após paralisação, ônibus voltam a circular em São José

0
348
Foto: Beto Faria/PMSJC

A sexta feira começou tumultuada em São José dos Campos. O Sindicato dos Condutores do Vale do Paraíba organizou uma paralisação-relâmpago com a reivindicação de reajuste salarial de 5%, manutenção dos cobradores em linhas menores e equiparação salarial entre motoristas. Os ônibus voltaram a circular às 8h.

A Prefeitura de São José dos Campos informa que, por volta das 3h40 de hoje o Sindicato dos Condutores fechou as garagens das três empresas que operam o transporte público na cidade, impedindo a entrada dos trabalhadores e a saída dos veículos. Após assembleia realizada às 6h30, os ônibus foram liberados e voltaram a circular”.

Leia a nota divulgada pela AVETP (Associação Valeparaibana Empresas de Transporte)

A AVETP  se declara surpresa e repudia veementemente a ação  adotada pelo Sindicato dos Condutores do Vale do Paraíba de paralisar o transporte coletivo de São José dos Campos na madrugada desta sexta-feira (18 de maio).

O incidente é grave. O Sindicato dos Condutores cometeu uma agressão aos direitos das empresas e dos próprios trabalhadores.

As empresas de ônibus não foram avisadas da paralisação com 72 horas de antecedência, nem o Sindicato garantiu frota mínima em circulação na cidade, como determina a lei. Trata-se, pois, de um atropelo da lei, causando prejuízo para o setor, mas, principalmente, prejuízo para a sociedade, que se viu privada do seu meio de transporte no início da manhã.

Uma cidade como São José dos Campos não pode ficar a mercê de atitudes dessa natureza, truculentas, que prejudicam o bem-comum.

A ação do Sindicato foi radical e violenta. Houve depredação de patrimônio das empresas, constrangimento de funcionários que queriam exercer seu direito de trabalhar e até o registro de pessoas estranhas ao movimento sindical de São José dos Campos, liderando e instigando a ação radical na porta de nossas garagens. E, mais grave: funcionários foram agredidos, com registro de lesões corporais, ao tentarem garantir seu direito legítimo ao trabalho. Tratou-se, pois, de uma ação truculenta.

 Cumpre informar que essa ação agressiva ocorre no momento entre AVETP e Sindicato dos Condutores estão em volta da mesa de negociação, debatendo o dissídio coletivo. Negociação essa que vem sendo travada, até agora, sem percalços, dentro da lei. O impacto da ação agressiva de hoje, praticada por parte do Sindicato, no entanto, terá impacto negativo nas negociações. Na prática, o Sindicato abandonou a mesa de negociação. Isso é lamentável.

 Dessa forma, a AVETP vêm a público manifestar seu repúdio a ação radical e violenta adotada por representantes do Sindicato dos Condutores. Acordos trabalhistas não podem ser decididos com base na violência e no desrespeito às leis e aos direitos. Serviços essenciais à população não podem ser suprimidos de acordo com a vontade de alguns radicais. A AVETP buscará os meios legais para garantir um transporte público de qualidade para a população, assim como buscará os meios legais para garantir o direito de trabalho aos funcionários das empresas de ônibus, sempre tratados com respeito e dignidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here