Autoestima – a onda do botox

0
991

Autoestima

Por Adriana Rebouças

 A onda do Botox 

image2

Toxina butolínica – um dos métodos mais difundidos e aceitos no mundo, o famoso botox caiu de vez no gosto das mulheres, no tratamento das rugas de expressão.

O curioso é que o botox já existe há mais de 20 anos para fins terapêuticos e já beneficiou milhões de pessoas.

No Brasil ele chegou em 1992 autorizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) hoje já são mais de sete indicações aprovadas no país.

Sou muito adepta a tratamentos com resultados positivos que trazem o bem-estar de mulheres que se preocupam com seu visual. Muita gente ainda tem muito preconceito e tabus em relação a esses tipos de tratamentos – algumas tem receio de perder a personalidade, e até medo das picadas.

Eu aderi ao método e hoje estou bem feliz com o resultado, hoje a linha que havia em minha testa só é vista em fotos de três semanas atrás! Adorei!

Com a popularização do botox, percebi que o uso tem sido feito em mulheres com faixa etária não indicada para o tratamento, por exemplo, mulheres de 20 e poucos anos e até algumas de 30 onde  não ainda há necessidade para o uso do queridinho das quarentonas em diante. A personalidade deverá permanecer intacta.

De uma maneira geral, o procedimento vem sendo usado inadequadamente em alguns casos, como de algumas famosas nacionais e internacionais que encontram-se deformadas com uso do botox e também dos preenchimentos, deformação causada pelo excesso das aplicações e a busca do rostinho de 20 anos atrás. Às vezes na busca de uma Angelina Julie podem trazer um visual de uma Gretchen! Naaaaão!!!

Aí o benefício, torna-se malefício para o visual !

O importante é que exista a consciência de que não são os preenchimentos que trarão uma autoestima equilibrada e sim o bem-estar alcançado de uma maneira suave. Se por algum motivo não for possível aplicação após o tempo de eficácia(+ou- 5 meses) que isso não traga nenhum tipo de encanação ou falta de equilíbrio emocional. Como eu sempre digo ficar bem longe dos extremos é muito, muito importante!

Adriana Rebouças é diretora e fotógrafa do Esquadrão do Click, empresa especializada em fotografar mulheres.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here