Educação: Mãe precisa de profissão ou ser mãe basta?

0
830
daughter copy mother working on laptop

Especial mês das mulheres:

(Março de 2016) 

daughter copy mother working on laptop
Imagem da internet

Mãe precisa de profissão ou ser mãe basta?

Por Taís Bento

Ser mãe não basta! A mulher precisa ser bem resolvida e estar feliz consigo mesma, como uma mulher completa. Isso não necessariamente significa ter uma profissão, mas sim ter outras ocupações que não sejam exclusivamente a de mãe. Um filho precisa de uma mãe completa e não de todas as expectativas de sua vida nas costas.

Trabalhar fora ou não? Existem diversas matérias na mídia com prós e contras da mãe trabalhar ou não. Mas se analisarmos friamente os resultados de diversas pesquisas feitas nessa área, a descoberta é que o fato da mãe trabalhar ou não, não é uma variável que deve ser considerada quando falamos do desenvolvimento emocional da criança.

Agora você que está lendo isso pode pensar: mas mães que não trabalham passam mais tempo em casa disponíveis para seus filhos, e a disponibilidade da mãe não é um fator positivo no desenvolvimento da criança? Estar disponível 100% do tempo para os filhos não seria melhor do que 50% ou até 25%?

A resposta seria sim, se a quantidade de tempo disponível, de forma isolada fosse o suficiente para beneficiar a criança.

A questão é que o que beneficia a criança é tempo de qualidade, saudável e com interação. E esse tipo de tempo independe do status de trabalho da mãe. Vemos diversos casos de filhos de mães que trabalham e que se sentem sufocados de tanta atenção e por outro lado também temos casos de mães que não trabalham mas pouco interagem com seus filhos.

O que importa é que você como mãe se sinta feliz com sua escolha. A questão não deve ser: “mães devem trabalhar fora ou ficar com seus filhos em casa?” mas sim “qual o equilíbrio ideal para que as mães e as crianças vivam de maneira feliz e saudável?”

Graduada em Pedagogia pela USP e Pós-Graduada em Marketing pela FAAP. Especialista em Aprendizagem cooperativa pela Universidade de Minessota e pela Universidad
e de San Diego e Aprendizagem baseada no funcionamento do cérebro pela Universidade de Virgínia. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here