Estilo clássico e provençal na decoração

0
150
Arquitetura-Urbanova

Por Arq. Marcelo Guedes

É comum ouvirmos falar sobre os diferentes estilos de decoração, hoje resolvi falar sobre a decoração clássica e estilo provençal – dois estilos que estão muito em alta.   

A característica mais marcante do estilo clássico é a presença marcante nas linhas e formas do mobiliário e objetos.  Esse estilo teve início na antiguidade, desde o período grego e romano, onde a arquitetura tornava evidente a importância e a beleza presentes no rebuscamento.

Arquitetura-UrbanovaOs valores e beleza continuaram existindo durante séculos até que em períodos históricos como barroco e também no rococó teve seu auge. Nesse estilo todo o mobiliário possui características rebuscadas e eram, muitas vezes, bem ornamentados como ocorre em sofás, camas, poltronas, cadeiras, armários e todo tipo de mobiliário. 

Todos os ambientes são extremamente detalhados, inclusive banheiros com uma série de objetos decorativos, papéis de paredes, apliques, ou seja, pelo fato de serem espaços sociais, existe uma grande preocupação com sua estética. 

Os tecidos tem uma função complementar, de maneira a não interferir na decoração, sempre com muito luxo e requinte nos padrões lisos, florais e listrados que também estão presentes em tecidos como seda, brocado ou veludo de forma a criar um ar de sofisticação e elegância. Nos acabamentos podem ser braçadeiras em tiras largas com a sobreposição de uma cortina mais pesada e outra mais leve dando a impressão de um grande cenário teatral ou acessórios marcantes com muito charme.

A decoração clássica é composta essencialmente por preto, bordeaux, azul-marinho e verde-esmeralda, que podem e devem ser combinados com elementos dourados, prateados, cor de ferrugem e rosa claro. 

Arquitetura-UrbanovaOs quartos com camas com dossel e mosquiteiros são marcas de elegância! As camas são um assunto a parte nesse estilo de decoração, sempre imponentes. Existe muita riqueza de detalhes como acontece com os pés de cadeiras, mesas e outros móveis onde se percebe uma produção totalmente artesanal o que o valorizava mais ainda o mobiliário. 

Também temos no estilo clássico a combinação do mobiliário de cores com branco, creme, cru, bege e diferentes tonalidades de castanho. 

Nas paredes geralmente temos um papel de parede  luxuoso e padronizado, algumas paredes clássicas possuem obras de arte antigas, onde dominam os estilos retrato ou natureza morta, em tela ou impressa em litografia. Também é habitual ver bonitas tapeçarias criando um ar bem sofisticado. Nos detalhes muitas peças de design criam uma simetria harmoniosa tornando esse ambiente único e elegante.

Arquitetura-UrbanovaJá a decoração provençal tem sua origem na região da Provença, que fica ao sul da França. Os elementos que compõem estes ambientes têm na origem dos móveis característicos deste estilo, cuja riqueza dos luxuosos móveis franceses dos séculos XVI e XVII tentou ser “copiada” dentro da própria população francesa que, sem condições financeiras de manter o luxo da decoração da realeza, criou uma maneira criativa de chegar mais próximo destes ambientes.

Estamos falando de uma decoração de casas do interior dos franceses, com casas rústicas de pedra entre os campos de lavanda. Paredes de pedra, vigas de madeira com tons claros, remetendo a sutileza e delicadeza das casas, peças de porcelana contrastando com peças de ferro com acabamento torneado típico francês. Nas casas, os artesãos inventaram uma mistura à base de gesso e cola, chamada gessocré pra esconder as imperfeições da madeira. Essa mistura disfarçava os defeitos da madeira; entretanto com o desgaste do tempo o móvel adquiria uma aparência envelhecida, dando origem ao estilo. Pela originalidade, beleza e autenticidade o estilo provençal se tornou sinônimo de elegância na decoração. 

Apesar do branco ser a cor predominante, diversos tons de amarelo, verde, lilás, azul e até vermelho , além das madeiras mais escuras decoram os ambientes. Por ser bucólico e meigo, o estilo provençal costuma ser aplicado às copas e salas, no entanto, adapta-se bem a outros ambientes. Os móveis manufaturados nos estilos da época, como Luís 15, Luís 16, regência, diretório e Luís Filipe, com diferentes tipos de madeiras e pouca qualidade. Para esconder os defeitos do lenho e a mescla de espécies em uma mesma peça. Tal efeito é conseguido atualmente com a pátina que muitas vezes é chamada de “provençal”.

Para a decoração do ambiente a dica é não carregar no branco e compor com outras cores discretas e materiais, como o ferro, o cobre, a madeira natural e a pedra e combinar diferentes estampas como floral com listras, sempre em cores próximas ou parecidas, bem sutil. No final se imagina contemplando os campos de lavanda, a simplicidade com elegância. 

E viva a decoração cada um no seu estilo, porque todos temos um gosto peculiar. 

Marcelo Guedes é Arquiteto e Urbanista formado pela Universidade Braz Cubas de Mogi das Cruzes.  Integra o projeto Caminhos da Arquitetura. Atualmente é Professor Universitário da Universidade Anhanguera,  Senac e FAAP. Trabalha com Projetos de Arquitetura e Projeto de Interiores, especializado em Luminotecnica e Planejamento e Gerenciamento de Projetos.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here