Patrulha do Sossego evita fluxos e autua 30 em seis locais de São José

0
319
Patrulha do sossego público é uma força-tarefa criada para combater os fluxos de funk e outras infrações no município - Foto: Divulgação

Mais uma operação da Patrulha do Sossego Público, realizada nas noites de sexta-feira (1º) e sábado (2), em locais com indicação de fluxo de funk, terminou com 30 veículos autuados. Em nenhum dos pontos incluídos na operação houve ocorrência de fluxo.

Participam da patrulha a GCM (Guarda Civil Municipal), Polícia Militar, DFPM (Departamento de Fiscalização e Posturas Municipais) e agentes de trânsito da Secretaria de Mobilidade Urbana da Prefeitura de São José dos Campos.

Autuações

Na sexta-feira, foram autuados cinco veículos por som alto, três na rua Pássaro Preto (Urbanova) e dois na avenida Comendador Vicente de Paulo Penido (Jardim Aquarius), ambos na região oeste. Outros cinco veículos foram autuados por estacionamento irregular na avenida Anchieta, na região central.

No sábado, foram aplicadas mais duas autuações por som alto, uma na avenida Comendador Vicente de Paulo Penido e outra no Parque Ribeirão Vermelho, no Urbanova. Cinco veículos foram multados por estacionamento irregular, sendo três novamente na Comendador Penido e dois na avenida Anchieta.

Na sexta e sábado, a Patrulha do Sossego também esteve no distrito de São Francisco Xavier (região norte), promovendo 13 autuações por estacionamento irregular e três por som alto.

O bairro Galo Branco, na região leste, também fez parte da operação. Não houve autuações no local.

Força-tarefa

A Patrulha do Sossego Público foi criada para formar uma força-tarefa que une fiscalização e policiamento ostensivo no combate a fluxos de funk, infrações à Perturbação do Sossego Público, à lei das calçadas e outras violações.

Semanalmente, a Patrulha obedece a um planejamento de ações com base no levantamento de informações sobre fluxos programados e anunciados nas redes sociais, assim como em função das reclamações de moradores.

Já foram alcançados resultados expressivos em áreas onde os fluxos eram constantes, como a avenida Anchieta e o Jardim Nova Esperança (Banhado), ambos na região central, Santana (norte) e Urbanova (oeste), entre outros.

Tentativas de realização de fluxos em chácaras alugadas em bairros periféricos e da zona rural também têm sido rechaçadas por meio do rastreamento da divulgação das festas em mídias sociais ou por denúncias feitas por moradores vizinhos. Nesses casos, os locais são interditados antes do início dos eventos. Foram evitados fluxos, entre outros locais, nos bairros Capuava e Putim, na região sudeste, e Parque Interlagos, na região sul.

A GCM orienta a população a entrar em contato com a Central 190 nos primeiros indícios da instalação de um fluxo, pois a partir de sua formação o trabalho de dispersão torna-se mais difícil. Pelo mapeamento das reclamações, a Patrulha do Sossego Público faz o planejamento de suas ações.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here