Após 3h30 de duelo, Corinthians supera São José no Lineu de Moura

0
244
Duelo memorável teve quatro prorrogações e placar final de 115 a 122 para os visitantes - Foto: Charles de Moura/PMSJC

O torcedor joseense não decepcionou, lotou o ‘Caldeirão’ Lineu de Moura e acompanhou uma das partidas mais marcantes da história recente do basquetebol nacional.

No final, não deu São José, que perdeu o jogo 3 da final da Liga Ouro para o Corinthians na noite desta quarta-feira (20), por 115 a 122 (13/24, 18/17, 18/17, 29/20 e 37/44), mas quem ganhou foram os espectadores que assistiram a quase 3h30 de um basquetebol aguerrido e determinado.

Os nomes da noite pelo lado anfitrião foram Douglas Nunes, que alcançou um duplo-duplo, com 19 pontos e 11 assistências, e Rafa Moreira, que fez 15 pontos, pegou 6 rebotes e deu 5 assistências. Já pelos rivais, brilhou a estrela de Reggie, com notáveis 38 pontos e 7 rebotes.

O duelo desta quarta deixou os corintianos na frente da série melhor de 5 partidas, chegando a duas vitórias. O triunfo da Águia foi conquistado no primeiro encontro, realizado no Ginásio Wlamir Marques, em São Paulo.

Agora, o Lineu de Moura promete estar lotado mais uma vez nesta sexta-feira (22) para o jogo em que a Águia pode empatar a série. O confronto está marcado para começar novamente às 20h e terá entrada gratuita para a torcida.

Batalha
O jogo teve um início extremamente difícil para São José, com o rivais chegando a abrir 13 a 0 no placar. Caminhando para o final do primeiro quarto, a diferença chegou a ficar em 14 pontos de vantagem para o Corinthians.

A partir do segundo quarto, o time de Paulo Jaú acordou e os quartos ficaram mais parelhos. No último, a diferença caiu pra dois pontos a pouco mais de um minuto para o fim do jogo, quase sempre com os corintianos à frente. E empurrados pela torcida que jogou junto até o final, os joseenses pegaram um rebote de lance livre dos rivais e marcaram com Márcio Dornelles, a 3 segundos do fim do jogo. Prorrogação.

No tempo extra, São José voltou a falhar em algumas finalizações e o Timão abriu quatro pontos com 10 segundos restando no marcador. Mais uma vez, na raça, a Águia levou o placas a igualdade com dois lances livres de Atílio, convertidos em falta sobre Hélio, que se lesionou.

Na prorrogação seguinte, o equilíbrio e a garra dos dois lados continuavam niveladas e mais uma vez a igualdade se fez, num jogo que parecia não ter fim. Encerrada mais uma sessão de basquetebol de cinco minutos, a emoção tomava conta do público e dos jogadores e a temperatura em quadra aumentou. Mas ao final, mais uma vez tudo igual: 104 a 104.

Passando ao tempo extra derradeiro, o cansaço pesou e com a base titular no banco de reservas, somente com o armador Hélio ativo, a Águia não segurou a experiência do Corinthians e foi superada por 115 a 122.

Fonte: Secretaria de Esporte e Qualidade de Vida

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here