Mães empreendedoras, o desafio de equilibrar

0
152

Dizem que ser mãe é padecer no paraíso. E quem é mãe e empreendedora, faz que?

Por Dariane Gatto

Empreender é um ato de coragem, sabendo que o Brasil é um dos países mais criativos, porém mais desafiadores para se abrir um negócio, não só pela burocracia, mas também pelos custos e tudo o mais que envolve “ter uma empresa”. Agora imagine esse cenário dentro de uma pandemia mundial somado à recessão econômica e todos os novos desafios que a ausência de atividades escolares e ajuda profissional traz para mulheres empreendedoras, recém mães ou mães de crianças na primeira infância.

O desafio de manter um negócio funcionando, uma empresa em pé, praticamente triplica para dizer o mínimo, não é mesmo?

Ao ter um filho a maior parte de nós sabe quais são as responsabilidades que virão junto com este novo momento: acalentar, amamentar, cuidar, educar, proteger, mesmo as mães com os parceiros e/ou pais mais presentes, conscientes e disponíveis para a necessidade de dividir as tarefas sente “o baque” da mudança de rotina, ainda mais se for o primeiro filho ou se houver um intervalo muito grande na idade das crianças. E quando adicionamos à esta mistura uma empresa “recém parida”,  criada na idealização de conciliar os horários de trabalho com os horários de cuidado com a família, trabalhar menos, ter mais autonomia, exercer seus talentos e também ter disponibilidade para o novo membro que foi tão esperado e sonhado, o novo bebê, a mistura fica ainda mais inusitada, para não dizer complicada.

No Brasil 53% das empreendedoras são mães, e 1 em cada 4 tem filhos menores que a idade de 5 anos, o que quer dizer que são crianças que ainda exigem muitos cuidados por conta da sua idade e dependência de um adulto.

Para lidar com isso é importante aliviar a autocobrança e autocrítica neste percurso desafiador que é maternar e empreender, então separei algumas dicas para você, mãe e empreendedora para este período desafiador que vivemos:

  1. Tenha consciência que somos humanas e não podemos dar conta de tudo, aceite isso e tudo vai ficar mais leve.
  2. Rede de apoio pessoal e profissional é bem-vinda, conte com a sua, se não tiver uma este é o melhor momento para começar a criar.
  3. Saber delegar é essencial para a empresa e você existirem, reconhecer o talento de outras pessoas te torna mais forte e não mais fraca.
  4. Falar sobre o que sente e compartilhar experiências é fundamental, ouvir outras mulheres e oferecer apoio é humano.

Fácil? Não.

Possível?

As mães empreendedoras estão aí para nos mostrar, e já são 53% no país.

Dariane Gatto é sócia fundadora da Result Consutoria & DH, Result Coworking e criadora do projeto Mulheres que Lideram.

Redes sociais: @darianegatto

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here